quinta-feira, 22 de dezembro de 2011

Mais um ano vai se passando,e o que aprendemos?


Me perdoe os outros, mais hoje irei falar de mim,e peso licença a todos vocês. Nesse ano aprendi que com o tempo podemos conquistar o que nem imaginava-mos,mas com um pouco de fé e paciência tudo se realiza.Aprendi que nem todos meus  amigos podem estar ao meu lado,e que outros estiveram ao meu lado mesmos com todos os meus defeitos e qualidades.E que minhas antigas ideologias foram se renovando,e que aquele garoto que pretendia mudar o mundo ver que todo passou de um belo sonho e que não é tão fácil como imaginava,aprendi que muitas vezes devo me calar,e que nem sempre podemos depender de uma mão para nos levantar em todas as horas e que nós mesmos devemos nos erguer, que meu passado não seja um martírio na minha vida e que amor verdadeiro existe. Aprendi que dinheiro e fama, não me traz a felicidade,e que minha solidão pode ser um  ato de fugir do mundo exterior e ir enfrentar o meu mundo interior,que não posso desistir dos meus objetivos,que devo lutar a cada segundo da minha vida pelo que acho certo.E que lagrimas podem ser enxugadas,e sorrisos compartilhados se você simplesmente se entregar a um amor,e falando em amor...que encontrei uma pessoa que me completa,e como diz “ em todo homem é preciso existir uma mulher para dar um brilho especial” e FATO não quero mais lagar esse amor.E que os outros pensam de mim não faz a mínima diferença na minha vida,e que minha família mesmo  com todos os defeitos e qualidades,é ela que me acolhe e que aquela idéia que a  família do vizinho é melhor que a minha é uma pura ilusão,sou mais a minha kk,e que é preciso ser homem suficiente para dizer o que pensa.Mas para finalizar e ao mesmo tempo continuar essa vida,que a cada dia aprendemos um pouco mais, tenho a agradecer: Primeiramente a Deus,a minha família,a minha namorada,a todos os meus amigos,aqueles que aprendi a conviver,e claro a todos os meus inimigos,que Deus os abençoe e que 2012 seja de muitas conquistas e aprendizado,beijo no coração.PESO A TODOS QUE VIREM ESSE TEXTO COLOQUE UM POUCO DO QUE APRENDEU NESSE ANO QUE PASSOU,E PROMETO POSTAR OS SEUS NESTE BLOG,ABRADEÇO DESDE AGORA A SUA CONTIBUIÇÃO. 

Quando me amei de verdade...

Quando me amei de verdade, compreendi que em qualquer circunstância, eu estava no lugar certo, na hora certa, no momento exato.
E então, pude relaxar.
Hoje sei que isso tem nome... Auto-estima.
Quando me amei de verdade, pude perceber que minha angústia, meu sofrimento emocional, não passa de um sinal de que estou indo contra minhas verdades.
Hoje sei que isso é...Autenticidade.
Quando me amei de verdade, parei de desejar que a minha vida fosse diferente e comecei a ver que tudo o que acontece contribui para o meu crescimento.
Hoje chamo isso de... Amadurecimento.
Quando me amei de verdade, comecei a perceber como é ofensivo tentar forçar alguma situação ou alguém apenas para realizar aquilo que desejo, mesmo sabendo que não é o momento ou a pessoa não está preparada, inclusive eu mesmo.
Hoje sei que o nome disso é... Respeito.
Quando me amei de verdade comecei a me livrar de tudo que não fosse saudável... Pessoas, tarefas, tudo e qualquer coisa que me pusesse para baixo. De início minha razão chamou essa atitude de egoísmo.
Hoje sei que se chama... Amor-próprio.
Quando me amei de verdade, deixei de temer o meu tempo livre e desisti de fazer grandes planos, abandonei os projetos megalômanos de futuro.
Hoje faço o que acho certo, o que gosto, quando quero e no meu próprio ritmo.
Hoje sei que isso é... Simplicidade.
Quando me amei de verdade, desisti de querer sempre ter razão e, com isso, errei muitas menos vezes.
Hoje descobri a... Humildade.
Quando me amei de verdade, desisti de ficar revivendo o passado e de preocupar com o futuro. Agora, me mantenho no presente, que é onde a vida acontece.
Hoje vivo um dia de cada vez. Isso é... Plenitude.
Quando me amei de verdade, percebi que minha mente pode me atormentar e me decepcionar. Mas quando a coloco a serviço do meu coração, ela se torna uma grande e valiosa aliada.
Tudo isso é... Saber viver!!!

                                                                                                Charles Chaplin

sexta-feira, 18 de novembro de 2011

Pra vc amr *-*


Amr nunca existiu na minha vida  pessoa igual a ti,uma pessoa única, q soube conquistar com a simplicidade de amar,teu sorriso,teu olhar,me transmite a felicidade de está contigo,todas as tuas atitudes,pensamentos,certezas aumenta no nosso S2 a certeza q tudo q sentimos um pelo outro é amor,um amor para a vida inteira,nossos sonhos e projetos,planeja o nosso futuro com tanta esperança e certeza q sempre estaremos juntos,eu amr ñ quero ser mais um na sua vida,eu quero fazer a diferença ser aquele garoto q vc ligara  e sempre te dirá o quanto vc é importante na vida dele,aquele amigo q sempre estará ou teu lado nos momentos alegres e tristes,aquele menino q se tornará homem junto contigo,quero ser aquele amor  q vive dentro de ti,ser aquele q te dará a camisa no tempo frio ou de chuva kkk lembra amr? Isso tudo resume em ser o teu namorado e simplesmente ser para vc tudo q vc quiser.Amigo,namorado,ciumento,bobão,apaixonado,ser seu só seu,eu te amo amr!

sexta-feira, 15 de julho de 2011

“Brasil Ordem e Progresso”


As vezes me pergunto até quando vamos ver nossas crianças e adolescentes  morrendo. Já não basta uma parte no mundo das drogas, prostituição e nos vícios “legalizados”,temos que ver elas morrendo? E nossos legais defensores brincando de ser policia e de ser político, onde está a justiça? Quando fala que a justiça é sega, realmente, ela está  demasiadamente. Agora olhando para outro lado fazemos outra pergunta:Onde está o ECA? Se ninguém lembra, eu irei lembrar que nos Art. 4⁰ e 5⁰, retrata bem  as assistências de segurança, dignidade e coloca como responsáveis a família e o ESTADO, sim o ESTADO, nas nossas casa podemos educar nossas crianças e é obrigação, mas vamos lembrar de nossa Educação e se podemos chamar de EDUCAÇÃO,escolas sem professores sem mínima estrutura para poder passar o que chamamos de ensino, já chega a má estrutura familiar e uma deficiência por parte do Estado, e nos omitimos de buscar uma melhoria, agora faço um apelo: Burguesia sai dos altares da hipocrisia e vem lutar com os mais necessitados, infelizmente precisamos do dinheiro para ser reconhecido e não mais por nossa índole e dignidade. Se vivo em uma utopia que ainda tem esperança no Estado melhor, eu não sei, mas acredito que podemos mudar essa onda de corrupção e desigualdade, lembrar das crianças que morrem , as crianças q procuram uma educação de qualidade um futuro promissor e só encontra uma má qualidade de vida, o Brasil não é só futebol  e samba, o Brasil clama por saúde e educação e qualidade de vida e principalmente para as crianças e adolescentes  que ainda é o Futuro de nossa Nação.E termino com o titulo e pra quem entendeu fica a e de novo “Brasil Ordem e Progresso”.
                                                                                                                                                 Zaid Galdino

sábado, 4 de junho de 2011

Musica!

Texto Literário !

Rio em flor de janeiro
 Carlos Drummond de Andrade

A gente passa, a gente olha, a gente pára
e se extasia.
Que aconteceu com esta cidade
da noite para o dia?
O Rio de Janeiro virou flor
nas praças, nos jardins dos edifícios,
no Parque do Flamengo nem se fala:
é flor é flor é flor,
uma soberba flor por sobre todas,
e a ela rendo meu tributo apaixonado.

Pergunto o nome, ninguém sabe. Quem responde
é Baby Vignoli, é Léa Távora.
(Homem nenhum sabe nomes vegetais,
porém mulher se liga à natureza
em raízes, semente, fruto e ninho.)

Iúca! Iúca, meu amor deste verão
que melhor se chamara primavera.
Yucca gloriosa, mexicana
dádiva aos canteiros cariocas.
Em toda parte a vejo. Em Botafogo,
Tijuca, Centro, Ipanema, Paquetá,
a ostentar panículas de pérola,
eretos lampadários, urnas santas,
de majestade simples. Tão rainha,
deixa-se florir no alto, coroando
folhas pontiagudas e pungentes.
A gente olha, a gente estaca
e logo uma porção de nomes populares
brota da ignorância de nós todos.
Essa gorda baiana me sorri:
– Círio de Nossa Senhora... (ou de Iemanjá?)
– Vela de pureza, outra acrescenta.
– Lanceta é que se chama. – Não, baioneta.
– Baioneta espanhola, não sabia?
E a flor, que era anônima em sua glória,
toda se entreflora de etiquetas.

Deixemo-la reinar. Sua presença
é mel e pão de sonho para os olhos.
Não esqueçamos, gente, os flamboyants
que em toda sua pompa se engalanam
aqui, ali, no Rio flóreo.
Nem a dourada acácia,
nem a mimosa nívea ou rósea espirradeira,
esse adágio lilás do manacá,
esse luxo do ipê que nem-te-conto,
mais a vermelha aparição
dos brincos-de-princesa nos jardins
onde a banida cor volta a imperar.

Isto é janeiro e é Rio de Janeiro
janeiramente flor por todo lado.
Você já viu? Você já reparou?
Andou mais devagar para curtir
essa inefável fonte de prazer:
a forma organizada
rigorosa
esculpintura da natureza em festa, puro agrado
da Terra para os homens e mulheres
que faz do mundo obra de arte
total universal, para quem sabe
(e é tão simples)
ver?

Video !

TOC ( Transtorno obsessivo-compulsivo) em Crianças !

video


video

Texto!

Carta do Padre Fábio de Mello 


A graça de ser só. 
Ando pensando no valor de ser só. Talvez seja por causa da grande polêmica que envolveu a vida celibatária nos últimos dias. Interessante como as pessoas ficam querendo arrumar esposas para os padres. Lutam, mesmo que não as tenhamos convocado para tal, para que recebamos o direito de nos casar e constituir família.
 
Já presencieidiscursos inflamados de pessoas que acham um absurdo o fato de padre não poder casar. 

Eu também fico indignado, mas de outro modo. Fico indignado quando a sociedade interpreta a vida celibatária como mera restrição da vida sexual. Fico indignado quando vejo as pessoas se perderem em argumentos rasos, limitando uma questão tão complexa ao contexto do “pode ou não pode”. 
  A sexualidade é apenas um detalhe da questão. Castidade é muito mais. Castidade é um elemento que favorece a solidão frutuosa, pois nos coloca diante da possibilidade de fazer da vida uma experiência de doação plena. Digo por mim. Eu não poderia ser um homem casado e levar a vida que levo. Não poderia privar os meus filhos de minha presença para fazer as escolhas que faço. O fato de não me casar não me priva do amor. Eu o descubro de outros modos. Tenho diante de mim a possibilidade de ser dos que precisam de minha presença. Na palavra que digo, na música que canto e no gesto que realizo, o todo de minha condição humana está colocado. É o que tento viver. É o que acredito ser o certo.

 Nunca encarei o celibato como restrição. Esta opção de vida não me foi imposta. Ninguém me obrigou ser padre, e quando escolhi o ser, ninguém me enganou. Eu assumi livremente todas as possibilidades do meu ministério, mas também todos os limites. Não há escolhas humanas que só nos trarão possibilidades. Tudo é tecido a partir dos avessos e dos direitos. É questão de maturidade. 
  Eu não sou um homem solitário, apenas escolhi ser só. Não vivo lamentando o fato de não me casar. Ao contrário, sou muito feliz sendo quem eu sou e fazendo o que faço. Tenho meus limites, minhas lutas cotidianas para manter a minha fidelidade, mas não faço desta luta uma experiência de lamento. Já caí inúmeras vezes ao longo de minha vida. Não tenho medo das minhas quedas. Elas me humanizaram e me ajudaram a compreender o significado da misericórdia. Eu não sou teórico. Vivo na carne a necessidade de estar em Deus para que minhas esperanças continuem vivas. Eu não sou por acaso. Sou fruto de um processo histórico que me faz perceber as pessoas que posso trazer para dentro do meu coração. Deus me mostra. Ele me indica, por meio de minha sensibilidade, quais são as pessoas que poderão oferecer algum risco para minha castidade. Eu não me refiro somente ao perigo da sexualidade. Eu me refiro também às pessoas que querem me transformar em “propriedade privada”. Querem depositar sobre mim o seu universo de carências e necessidades, iludidas de que eu sou o redentor de suas vidas.
  Contra a castidade de um padre se peca de diversas formas. É preciso pensar sobre isso. Não se trata de casar ou não. Casamento não resolve os problemas do mundo.
 Nem sempre o casamento acaba com a solidão. Vejo casais em locais públicos em profundo estado de solidão. Não trocam palavras, nem olhares. Não descobriram a beleza dos detalhes que a castidade sugere. Fizeram sexo demais, mas amaram de menos. Faltou castidade, encontro frutuoso, amor que não carece de sexo o tempo todo, porque sobrevive de outras formas de carinho. 

É por isso que eu continuo aqui, lutando pelo direito de ser só, sem que isso pareça neurose ou imposição que alguém me fez. Da mesma forma que eu continuo lutando para que os casais descubram que o casamento também não é uma imposição. Só se casa aquele que quer. Por isso perguntamos sempre – É de livre e espontânea vontade que o fazeis? – É simples. Castos ou casados, ninguém está livre das obrigações do amor. A fidelidade é o rosto mais sincero de nossas predileções.
A graça desça sobre cada um de vocês meus filhos!
Em nome do Pai, do Filho e do Espirito Santo
AMÉM
! 
Padre Fábio de Melo 

Texto!

Corações divididos!


Para algumas pessoas, o amor passa por um crivo racional antes de ser expresso ou vivenciado. Ou seja, é ditado mais por valores do que por impulsos. Para outras, é pura emoção. Ou seja, amor é praticamente sinônimo da autêntica paixão. 

Dinâmicas à parte, o fato é que há muito do amor que nenhum de nós consegue explicar, dimensionar ou compartimentar, ainda mais quando se trata das relações conjugais – já tão complexas por si só. 

No entanto, como o futuro é incerto e o destino de cada um jamais se revela antes da hora, podemos afirmar que ninguém está à salvo de se flagrar com o coração confuso e perturbado entre dois amores. 

Talvez sejam essas as palavras que mais traduzam os sentimentos de quem se vê, de repente, sem conseguir fazer uma escolha tão importante quanto “com quem ficar”. Com as duas? Com nenhuma? E se decidir por uma, como abrir mão dos encantos da outra e vice versa? 

Acontece que nada, absolutamente nada nesta vida é somente bom ou somente ruim. Não podemos dividir as pessoas em “tudo o que amo nela” e “tudo o que não gosto”. Argumentos como “fulano é divertido, bem-humorado e criativo, enquanto que cicrano é romântico, responsável e bem-sucedido” só servem para demonstrar ainda mais o quanto não estamos comprometidos com o amor e sim com nossos caprichos pessoais. 

Amor é, acima de tudo, aprendizado, crescimento, evolução. É a oportunidade suprema que cada um de nós tem para reconhecer não as qualidades ou as limitações do outro, mas sim as nossas próprias. Não as dificuldades e os erros do outro, mas sim os nossos. Como tão bem profetizou Rainer Maria Rilke: 

"Amar outro ser humano é talvez a tarefa mais difícil que a nós foi confiada, a tarefa definitiva, a prova e o teste finais; a obra para a qual todas as outras não passam de mera preparação". 

Portanto, se você se descobrir confuso entre duas pessoas, sem saber em quem investir ou, pior, desejando investir nas duas ao mesmo tempo, imagine como se estivesse navegando por um mar imenso, intenso e profundo estando em dois barcos ao mesmo tempo, com um pé em cada barco... Impossível alcançar estabilidade. Impossível determinar um roteiro. Impossível chegar a qualquer lugar. E mais do que isso: perigoso, muito perigoso! 

Sim, certamente essa imaginação não é suficiente para que você consiga chegar a um novo cenário para esta história. Minha sugestão é para que você ouça cuidadosa e atentamente o que diz seu coração. Ele sabe a resposta, antes mesmo de sua razão. Se estiver difícil, pegue uma folha de papel e escreva tudo o que você mais gosta em cada uma e tudo o que você não gosta. Reflita sobre o que está em sintonia com o que reconhece em você mesmo, inclusive as limitações, os “defeitos”. 

Lembre-se de que amamos ou odiamos aquilo que está, antes de mais nada, dentro de nós mesmos. Admiramos aquilo com o que nos identificamos. Desejamos o que nos complementa. E nesta mesma proporção, escolhemos conforme a clareza de nossa própria consciência. 

Se o seu coração está dividido, pare e perceba o que é que você está realmente buscando: felicidade ou perfeição? Aprendizado ou respostas prontas? Compromisso ou justificativas para suas próprias inseguranças? E assim, muito mais voltado para si mesmo do que para qualquer outro amor, terminará descobrindo que amar o outro é um exercício diretamente proporcional ao de amar a nós mesmos!

terça-feira, 17 de maio de 2011

Textos Críticos !

A deficiência da educação no Brasil !
Não somos mais colonos, porém o Brasil continua com suas corrupções, infidelidades, irresponsabilidades e cego em relação à educação. Prova disso foi a prova de nível nacional aplicada nos dias cinco e seis de novembro de 2010.
O caso do Enem é polemica durante os últimos dias, por causa de diversos fatores que levaram a insatisfação dos estudantes como erro no cartão de respostas, algumas perguntas repetidas, uso de celular, atraso de entrega das provas, falta de segurança, etc.
Isso não é menos que irresponsabilidade. Uma prova de porte nacional com sua grande importância não poderia haver “furos” dessa dimensão. Nas páginas da internet não faltam reclamações a respeito da desorganização e atitudes do MEC.
Porém o Inep afirma que as falhas do Enem não vão “minar a credibilidade” da prova. Como não, se já é o segundo ano consecutivo de deficiência no exame? Só está tirando a credibilidade e causando duvidas quanto à permanência desse sistema como forma de entrada nas universidades.
Casos assim acontecem em nosso país pela falta de preocupação com a educação e desvalorização por parte de muitos. A nova geração precisa revolucionar o pensamento desta sociedade que tende para deficiência.

Texto Poetico!

Lembranças de um encanto
Diga- me  o motivo de tanto encanto?
No jeito de teu olhar,na maneira de falar,no brilho de tanta beleza.
No toque de teus lábios,nos afagos de tuas mãos,lembrando-me de nossos momentos juntos.
Tão juntos como um só, uma só alma, um só coração.
Na minha esperança de encontra-te amanhã e acontecer tudo de novo.
                                                                                                               
                                                                                               Zaid Galdino .:

sábado, 5 de março de 2011

Texto do Mês!

O Menestrel


Depois de algum tempo você aprende a diferença, a sutil diferença entre dar a mão e acorrentar uma alma. E você aprende que amar não significa apoiar-se. E que companhia nem sempre significa segurança. Começa a aprender que beijos não são contratos e que presentes não são promessas.
Começa a aceitar suas derrotas com a cabeça erguida e olhos adiante, com a graça de um adulto e não com a tristeza de uma criança.
Aprende a construir todas as suas estradas no hoje, porque o terreno do amanhã é incerto demais para os planos, e o futuro tem o costume de cair em meio ao vão.
Depois de um tempo você aprende que o sol queima se ficar exposto por muito tempo.
E aprende que, não importa o quanto você se importe, algumas pessoas simplesmente não se importam… E aceita que não importa quão boa seja uma pessoa, ela vai feri-lo de vez em quando e você precisa perdoá-la por isso. Aprende que falar pode aliviar dores emocionais.
Descobre que se leva anos para construir confiança e apenas segundos para destruí-la…
E que você pode fazer coisas em um instante das quais se arrependerá pelo resto da vida. Aprende que verdadeiras amizades continuam a crescer mesmo a longas distâncias.
E o que importa não é o que você tem na vida, mas quem você tem na vida.
E que bons amigos são a família que nos permitiram escolher.
Aprende que não temos de mudar de amigos se compreendemos que os amigos mudam…
Percebe que seu melhor amigo e você podem fazer qualquer coisa, ou nada, e terem bons momentos juntos. Descobre que as pessoas com quem você mais se importa na vida são tomadas de você muito depressa… por isso sempre devemos deixar as pessoas que amamos com palavras amorosas; pode ser a última vez que as vejamos. Aprende que as circunstâncias e os ambientes têm influência sobre nós, mas nós somos responsáveis por nós mesmos. Começa a aprender que não se deve comparar com os outros, mas com o melhor que pode ser.
Descobre que se leva muito tempo para se tornar a pessoa que quer ser, e que o tempo é curto.
Aprende que não importa onde já chegou, mas para onde está indo… mas, se você não sabe para onde está indo, qualquer caminho serve.
Aprende que, ou você controla seus atos, ou eles o controlarão… e que ser flexível não significa ser fraco, ou não ter personalidade, pois não importa quão delicada e frágil seja uma situação, sempre existem, pelo menos, dois lados. Aprende que heróis são pessoas que fizeram o que era necessário fazer, enfrentando as conseqüências. Aprende que paciência requer muita prática.
Descobre que algumas vezes a pessoa que você espera que o chute quando você cai é uma das poucas que o ajudam a levantar-se. Aprende que maturidade tem mais a ver com os tipos de experiência que se teve e o que você aprendeu com elas do que com quantos aniversários você celebrou. Aprende que há mais dos seus pais em você do que você supunha.
Aprende que nunca se deve dizer a uma criança que sonhos são bobagens…
Poucas coisas são tão humilhantes e seria uma tragédia se ela acreditasse nisso.
Aprende que quando está com raiva tem o direito de estar com raiva, mas isso não te dá o direito de ser cruel. Descobre que só porque alguém não o ama do jeito que você quer que ame não significa que esse alguém não o ama com tudo o que pode, pois existem pessoas que nos amam, mas simplesmente não sabem como demonstrar ou viver isso.
Aprende que nem sempre é suficiente ser perdoado por alguém…
Algumas vezes você tem de aprender a perdoar a si mesmo.
Aprende que com a mesma severidade com que julga, você será em algum momento condenado.
Aprende que não importa em quantos pedaços seu coração foi partido, o mundo não pára para que você o conserte. Aprende que o tempo não é algo que possa voltar.
Portanto, plante seu jardim e decore sua alma, em vez de esperar que alguém lhe traga flores.
E você aprende que realmente pode suportar… que realmente é forte, e que pode ir muito mais longe depois de pensar que não se pode mais. E que realmente a vida tem valor e que você tem valor diante da vida! Nossas dúvidas são traidoras e nos fazem perder o bem que poderíamos conquistar se não fosse o medo de tentar.
                                                               (Willian Sheakespeare)